Mergulhe nessa história sem assumir nada, porque nada nesse livro é o que parece.

Essa é a beleza de Rebecca, um suspense/thriller psicológico escrito em 1938, considerado um dos melhores livros do século XX.

Nossa protagonista não tem nome. Sabemos que ela é uma jovem britânica bem inexperiente, que trabalha como dama de companhia para uma senhora detestável. De férias em Monte Carlo com essa senhora, ela conhecerá Max De Winter, um viúvo rico e charmoso que ganha seu coração. O relacionamento evolui rapidamente, eles se casam, e ela vai morar com ele no interior da Inglaterra, em um famoso casarão chamado Manderley.

Laurence Olivier e Joan Fonteine – Rebecca (1940)

A nova senhora De Winter está sonhando com o “felizes para a sempre”, mas o que sabe ela da vida? Vai ser uma jornada difícil viver em um mundo que não a pertence – um casarão imponente cheio de empregados e objetos valiosos, uma roda da alta sociedade para agradar. E, claro, o fantasma de Rebecca não vai permitir que ela seja feliz.

Ah, Rebecca ! A primeira mulher do seu marido, morta no ano anterior, tão linda e especial que todos ao redor ainda lamentam sua morte – até, talvez, seu próprio marido?

Rebecca está em todo lugar em Manderley, e é impossível fugir dela.

Para onde vai essa história a partir daqui, você precisa ler para saber. Mas não esqueça – nada é o que parece. Tenha em conta, durante a leitura, que o livro é um dos primeiros do seu estilo, e seria injusto compara-lo com suspenses ou thrillers psicológicos atuais. Uma beleza sem par no que concerne narrativa, e com uma ambientação primorosa que dá um clima especialmente sinistro aos acontecimentos, o livro anda devagar, mas a tensão e o suspense vai pegar você de jeito.

Daphne Du Maurier e filhos em Menabilly House

Depois de ver essa foto, garanto que você ficou entusiasmado para conhecer e passear pelos jardins de Manderley. E o mais legal é o que a casa da foto é a propriedade que inspirou o livro – Menabilly House, na Cornualha. Aliás, a casa que foi comprada pela autora, e foi sua obsessão por anos a fio, a ponto de aparecer como ponto focal em três de seus livros.

O filme de mesmo nome, dirigido por Hitchcock em 1940 (primeira foto) é uma adaptação fidedigna da obra , e capta bem toda a tensão que o fantasma de Rebecca provoca na vida da nova Senhora De Winter . Acho digno de nota apontar que Daphne Du Maurier tem mais de uma dezena de histórias adaptadas para o cinema, a mais recente sendo Minha Prima Raquel, em 2017, protagonizada por Rachel Weisz.

Ah, uma curiosidade sobre Daphne e Hitchcock : ele adaptou três de suas historias para a telona : Os pássaros, Rececca e Jamaica Inn , e já até nomeou um personagem em homenagem a ela !

Já leu o livro, ou viu o filme? Venha me contar !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *